quinta-feira, 30 de julho de 2015

A beleza da vida.


A beleza da vida.

É comum encontrar pessoas que dizem não conseguir encontrar a "beleza" da vida, como descrita em livros e poemas ou cantada em verso pelos apaixonados.  Assim se expressam porque, para elas, a vida e seus desafios, são apenas um emaranhado de emoções, sentimentos e situações que não as conduzem a lugar algum. Não encontram motivos para se alegrar, assim como não encontram razões para viver. Para essas pessoas, a vida é simplesmente um estágio do qual não conseguem se desvencilhar e no qual não conseguem se enquadrar. Para elas, a vida, inevitavelmente, será um fardo difícil de carregar e sempre se mostrará "feia" e sem atrativos.
Vivem em constante conflito interno e com todos que as cercam. É uma luta na qual não encontram armas ou estratégias suficientes para vencer, porque se não conseguem enfrentar o que está exposto à sua frente, como combaterão o que está invisível, em seu interior? Como conseguirão eliminar aquele sentimento de inadequação terrível que mina suas forças e rasga, com suas garras afiadas, toda tentativa de mudança, todo desejo de pintar o quadro da existência com cores vivas e intensas, cobrindo assim a escuridão do passado?
Quer gostemos quer não, quer aceitemos ou não, a vida é e sempre será desafiadora, por isso devemos olhá-la não apenas com a razão e com seu invejável "equilíbrio" e "exatidão", propagado pelos racionalistas, mas também com amor e prazer, valorizando e agradecendo cada momento como se fosse único...especial.
Seja como for, o simples fato de termos nascido e permanecermos vivos, já seria motivo suficiente para dizer que a vida é bela, mas nós, seres humanos "racionais", somos dotados de uma estranha "capacidade": a da insatisfação.
Ela é responsável por fazer com que nos sintamos pequenos e insignificantes, tristes e cabisbaixos, saudosistas extremados e utopicamente infelizes.
A beleza da vida não está relacionada apenas e tão somente às aquisições materiais que nos trazem conforto e prazer, está em poder vivê-la rodeada de amigos, das pessoas que nos amam e acima de tudo: poder desfrutar de um grande amor, um amor que nos impulsione a seguir em frente e conquistar o mundo se for preciso, um amor que nos levante nos momentos difíceis e nos faça parecer criança nos felizes, um amor que quando se une ao nosso corpo, nos eleva acima dos céus e nos faz sentir o prazer em grau infinito.
Ao lado de um grande amor, podemos cair muitas vezes, mas sempre nos levantaremos...
Ao lado de um grande amor, nossa alegria se torna juvenil, infantil até: basta olhar nos lindos e brilhantes olhos de nossa amada ou ver um breve sorriso que seja em seus lábios, para nos sentirmos plenamente felizes. Nos sentiremos realizados e nosso prazer será inenarrável todas as vezes em que a tivermos em nossos braços.
Nunca deixe de olhar para a vida com amor e paixão, dessa forma, ela sempre te parecerá bela e prazerosa.


Ben Baruch

Nenhum comentário:

Postar um comentário