quinta-feira, 23 de maio de 2013

O que podemos esperar do amanhã?


O que podemos esperar do amanhã?


O Rei Davi era um homem segundo o coração de Deus e muitos conhecem as várias situações vividas por ele através de suas narrativas no Livro dos Salmos.
Davi teve grandes momentos de alegria e de gozo na presença Divina. Momentos nos quais pode perceber a mão de Deus se movendo em seu favor.
Um exemplo desse cuidado Divino aconteceu quanto enfrentou e matou o gigante filisteu Golias com uma única pedrada ou quando, ao recuperar a arca da aliança, dançou freneticamente diante da mesma e de seu povo, chegando ao ponto de escandalizar sua mulher Mical, filha do antigo rei Saul. Mas Davi também passou por momentos terríveis e angustiantes, como nos dias em que foi perseguido por Saul e teve que fingir-se de louco na cidade de Gate (Salmos 56) para não ser morto, ou ainda, quando seu filho Absalão, depois de praticar um levante com alguns homens, possuiu todas as suas mulheres no terraço do palácio real, expondo o rei a uma vergonha pública. E se isso não bastasse, para tristeza de Davi, esse mesmo Absalão acabou morto durante uma perseguição.
Por essa razão, os Salmos falam muito ao coração de todos nós, porque Davi escrevia sobre aquilo que estava passando. Eram experiências pessoais.
Foi com este sentimento que Davi escreve o Salmo 14 e num breve trecho diz o seguinte:
Diz o insensato no seu coração: Não há Deus. Corrompem-se e praticam abominação; já não há quem faça o bem.
Do céu olha o SENHOR para os filhos dos homens, para ver se há quem entenda, se há quem busque a Deus.
Todos se extraviaram e juntamente se corromperam; não há quem faça o bem, não há nem um sequer.
Acaso, não entendem todos os obreiros da iniquidade, que devoram o meu povo, como quem come pão, que não invocam o SENHOR?
Tomar-se-ão de grande pavor, porque Deus está com a linhagem do justo.
Meteis a ridículo o conselho dos humildes, mas o SENHOR é o seu refúgio.
Tomara de Sião viesse já a salvação de Israel! Quando o SENHOR restaurar a sorte do seu povo, então, exultará Jacó, e Israel se alegrará. (Salmos 14.1-7)

Este Salmo é um misto não apenas de medo e desespero, mas também de esperança em dias melhores.
Davi já havia passado por tantas dificuldades, por tantas traições e perseguições que não via a hora em que Deus estabelecesse para sempre o Seu reino neste mundo e que finalmente todos pudessem viver em paz e harmonia.
Davi começa confrontando o pensamento e a forma de viver daqueles que não temem a Deus e a reação de seu povo diante dEle.
Chegamos a um nível em nossos dias, em que a maioria das pessoas chega mesmo a duvidar da existência de Deus.
A violência e as desigualdades sociais são muito grandes. Exemplo disso são os sofrimentos impostos por aqueles que possuem mais recursos financeiros sobre os que possuem pouco ou nenhum recurso.
Inconcebivelmente existem pessoas que se dizem ateus convictos, que negam totalmente a existência de Deus, que confiam somente em suas capacidades humanas e intelectuais. São pessoas que se consideram superiores e como diante das coisas espirituais se perdem num labirinto de suas próprias convicções, preferem negá-las a enfrentarem a realidade de que suas ponderações são infundadas e fundamentadas apenas em hipóteses construídas por suas mentes egoístas e orgulhosas que não aceitam que exista um Ser Superior que governe o Universo e tem Suas próprias leis e princípios.
Por acreditarem apenas em suas potencialidades e por entenderem que a vida do homem está circunscrita à vida terrena, praticam toda sorte de abominações contra o seu próximo. O que acontece ao seu redor não tem nenhuma importância. Para eles o que realmente importa é a própria vida. Seu provérbio preferido é: Cada um por si e que vença o melhor.”
Esse é o tipo de raciocínio e sentimento que move o homem natural e não precisamos ir muito longe para verificar que isso é verdadeiro. Basta andar pelas ruas de nosso bairro. Vizinhos que nem se olham no rosto, quando muito dão um “bom dia”, “boa tarde” ou “boa noite”. Alguns até têm a “preocupação” de perguntar se vai “tudo bem”, mas estão tão apressados que nem esperam para saber a resposta. Não existe um diálogo fraterno, apenas um monólogo indiferente. Essa situação não é muito diferente em alguns lares, onde a demonstração de amor e entrega transformou-se em indiferença e disputa. Ninguém se entende. Não há diálogo. Quando não se tratam com gritaria e ofensas, muitas vezes nem conversam.
No trabalho nem precisamos comentar muito. A maioria quer o lugar do chefe ou do patrão. Todos querem ter uma condição de vida melhor. Muitos dizem: “Foi para isso que estudei? Eu trabalho feito louco e no fim acabo fazendo tudo, e esse idiota (referido-se ao superior) não faz nada e ganha três vezes mais do que eu.”
Esse era também o ambiente na época em que Davi escreveu esse Salmo e é nesse mesmo contexto que vivemos em nossos dias. Época de maldades sem limites, onde a vida humana não vale absolutamente nada. Época onde se tira a vida do semelhante por puro prazer e no caso de nosso país pela certeza da impunidade, principalmente por parte dos adolescentes.
Esse Salmo nos ensina algumas coisas acerca do que podemos esperar do amanhã.
Em primeiro lugar, ensina que apesar da maldade do homem, Deus continua a vir ao seu encontro.
Deus tem prazer em abençoar, isto é fato incontestável para nós que cremos na Sua existência e por essa razão está sempre procurando uma oportunidade para derramar do Seu Amor sobre nós, independente da condição social, raça, credo religioso ou conhecimento teológico que tenhamos.
Deus é Justiça, Paz, Imutável, Onisciente, Onipotente, Todo-Poderoso, mas o que mais me anima a buscá-LO é saber que Ele é Soberanamente Bom e o tamanho de Seu Amor por nós é inimaginável por nossa mente limitada.
Deus não criou o homem para viver no pecado nem para viver em sofrimento. Não o criou para matar seu semelhante ou para humilhá-lo. Ele o criou para ter uma vida feliz. Criou-o para ter comunhão com Ele, criou-o para o louvor de Sua Glória. Criou-o para ter intimidade com Ele.
Talvez você esteja passando por algumas dessas situações que mencionamos. Se estiver, tenha a certeza de uma coisa: Deus se preocupa com você e vem ao seu encontro todos os dias. Nesse exato momento, aí mesmo onde você está, Ele está ao seu lado para demonstrar todo o Seu amor. Por essa razão abra o seu entendimento. Abra o seu coração porque Ele quer te abençoar grandemente. É da “natureza” Divina: Ele é abençoador e diz a Torá que tudo o que Ele criou é bom, sendo assim você é importante para cumprir os propósitos Divinos em sua vida.
No livro de Jó 28.28, o Eterno nos ensina que: “o temor do Senhor é o principio da sabedoria e o apartar-se do mal é o entendimento.”
Sabemos que ninguém consegue mudar da noite para o dia, mas precisamos começar a mudança o quanto antes. Precisamos dar o primeiro passo e seguir adiante sem nos preocupar com o que deixamos para trás.
Comece a pensar nisto. Comece a mudar os seus pensamentos, o seu modo de falar e agir. Comece a buscar a Deus. Tenha o desejo de mudar, porque dos céus o Eterno está olhando para cada um de nós, procurando quem entenda, procurando se há quem O busque com um coração sincero.
Em segundo lugar, ensina que na busca desesperada de encontrar a Deus acabamos, muitas vezes, nos afastando dEle.
Às vezes, desejando encontrar Deus acabamos trocando os pés pelas mãos. Ao invés de buscarmos a Deus em Espírito, através do estudo de Sua Palavra, da oração e do cumprimento das ordenanças que nos deixou, acabamos tentando buscá-lO através de doutrinas e movimentos que nada têm de comunhão com Ele.
Às vezes, no desejo de buscar uma coisa boa, prazerosa e espiritual, acabamos encontrando coisas ruins que vão nos conduzir não apenas ao afastamento da presença de Deus, mas até mesmo à morte física.
Hoje em dia existe uma imensidão de doutrinas que se proclamam as mais espirituais ou que garantem que através do cumprimento de seus ensinamentos seremos conduzidos a Deus, mas apesar de algumas delas conterem alguns ensinamentos parciais sinceros, depois de analisados percebemos que estão sempre condicionadas aos caprichos humanos de seus líderes.
Desde que os primórdios da criação, o homem busca aproximar-se de seu Criador. No início, acreditava que pudesse consegui-lo através de sacrifícios humanos e que, em assim procedendo, Deus pudesse se agradar deles. O homem criou inúmeros deuses na esperança de que eles pudessem resolver seus problemas mais íntimos, mas nessa intenção de aproximação, acabou se distanciando ainda mais de Deus.
Hoje, ainda existem doutrinas que tentam se aproximar de Deus através das observâncias mais esdrúxulas e sem o menor sentido. Existe uma enxurrada tão grande de seitas que seriam necessários bilhões de deuses para que cada um pudesse ter o seu próprio deus, como acontece na Índia e em tantos países.
Na Índia existem milhões de deuses, cada família tem o seu. Eles veem Deus nos insetos, aves, animais. Se olhassem para essas criaturas como tendo sido criadas pelo verdadeiro Deus, estariam certas, mas erram ao crerem que elas são o próprio Deus.
Em terceiro lugar, ensina que Deus é a nossa salvação, o nosso socorro bem presente.
Davi lança um grito desesperado, esperando o socorro Divino no versículo 7, quando diz: “Tomara de Sião viesse já a salvação de Israel! Quando o SENHOR restaurar a sorte do seu povo, então, exultará Jacó, e Israel se alegrará.”
Apesar conhecer até que ponto iria a maldade humana, Davi esperava confiantemente que Deus enviaria um redentor para o povo e desejava que isso ocorresse o quanto antes.
Deus conhece o sofrimento do homem e quer esta aproximação e está sempre aguardando com os braços e ouvidos abertos para atender ao clamor dos que O buscam com inteireza de coração e desejo sincero de mudança.
O que é que Deus exige de nós?
Financeiramente: NADA. Materialmente: NADA.
O que exige de nós é o cumpramos os ensinamentos que nos entregou. Ele exige de nós uma mudança de vida. Quer o nosso coração entregue totalmente a Ele.
O mundo chora as suas crises. Se buscarmos, veremos que hoje mesmo em diversas partes do mundo muitos estão passando por elas e não sabem como enfrentá-las e vencê-las.
São crises existenciais de pessoas que não veem perspectivas para suas vidas. Encontram-se perdidas em meio a conflitos íntimos e não sabem a quem recorrer ou em quem confiar.
Muitos dizem não haver amanhã para o ser humano. São os pessimistas de plantão, mas estão redondamente enganados porque a Torá nos ensina que Tudo que o Eterno criou é bom e tem um propósito. Nada na criação foi por acaso ou não estava nos planos Divinos.
A coroa da criação é o ser humano, sendo assim o cuidado do D”us para conosco é constante.
O que podemos esperar do amanhã se O buscarmos? Sempre o melhor, nada menos que isso!
Que o Eterno te abençoe e te guarde em todos os momentos e que seu amanhã seja de paz, alegria e muita comunhão com Ele.


(בן  ברוך) Ben Baruch

Nenhum comentário:

Postar um comentário