terça-feira, 28 de agosto de 2012

Oração. Um convite irresistível!



Oração. Um convite irresistível!

Muitas vezes andamos por esse mundo sem saber ao certo o que procuramos.

Para alguns, apesar de a providência divina os abençoar com um lar abastado, onde as provisões materiais são abundantes e todos ao seu redor se mostrem felizes, muitos deles se consideram infelizes, acreditando que algo ainda está faltando e não sabem como explicar o que acontece em seu interior que os leva a se sentirem assim.
Outros, todavia, embora levem uma vida humilde e cercada de dificuldades, que encontram no lar a tranquilidade que causaria inveja a muitos, inexplicavelmente sentem-se infelizes. Muito embora todos à sua volta lhes mostrem o quanto são abençoados por Deus, o fato de não desfrutarem do conforto e das facilidades que a vida moderna propícia leva-os a entender que se tivessem um poder aquisitivo maior poderiam considerar-se plenamente felizes.
Seres humanos... Como somos contraditórios em nossos sentimentos! Se temos muito, reclamamos... Se temos pouco, reclamamos ainda mais.
Não são poucas as pessoas quem, diante das experiências que a vida nos concede, não conseguem, ao deitar em seus leitos, recostar a cabeça no travesseiro e simplesmente descansar das tarefas cotidianas. Suas mentes não param. Buscam forças e respostas em tudo que as cercam e se esquecem de que na maioria das vezes a solução não está fora, mas dentro delas mesmas e que para alcançar a paz que tanto desejam necessitam apenas e tão somente buscar a presença do seu Criador e expor-lhe o que tanto as atormenta.

“E Moisés, tendo saído da presença de Faraó, orou ao SENHOR.” (Ex 10.18)

Moisés, apesar o conforto físico e das facilidades materiais que desfrutou enquanto esteve no palácio de Faraó, vivendo como filho da filha de faraó, passou por extremas dificuldades e necessitou transformar sua vida nos próximos oitenta anos em que viveu entre nós.
Necessitou fugir da presença de seus irmãos Hebreus e refugiar-se por quarenta anos até que foi alcançado pela força do Amor Divino que viu nele um ser humano em quem poderia confiar uma grande tarefa: Libertar o Seu povo das garras de Faraó e transformá-lo em uma nação de reis e sacerdotes que levaria o Seu Nome aos quatro cantos da Terra e assim O fizesse conhecido por todos. Por outros quarenta anos, através da oração e da certeza de que o Eu Sou não o desampararia em tempo algum, transformou não apenas o destino de todos aqueles que o seguiam, mas também o rumo da história de um povo e através dele o de toda a humanidade.
Cremos que o convite que Moisés nos faz para nos sentirmos transformados e abençoados pela presença e provisão Divina é criarmos em nós o hábito de falar com o Senhor; de estabelecer um momento para nos aproximarmos dEle através da oração.
Ele está sempre com os braços abertos esperando a nossa aproximação”: De longe se me deixou ver o SENHOR, dizendo: Com amor eterno eu te amei; por isso, com benignidade te atraí.” (Jr 31.3)
Ele nos atrai porque quer estabelecer conosco uma relação não apenas de Criador e criatura, mas acima de tudo de Pai e filho.
O convite é para utilizarmos esse recurso em quaisquer situações de nossa vida, quer estejamos felizes ou não.
Quando a infelicidade ou a dificuldade bater à sua porta e você se sentir impotente e desmotivado, ore ao Eterno pedindo-lhe a proteção e o amparo de que necessita para se fortalecer e seguir adiante honrando o Seu Nome.
Quando injustamente te ferirem com palavras ásperas e ofensivas, refugia-te na oração e peça ao Todo-Poderoso que lhe conceda o amor e a força necessária para superar tão duros momentos que também atingem outros que nos cercam e que tantas vezes, fechados em nós mesmos, nem percebemos.
Quando a perda de um ente querido ou de um grande amigo estiver sufocando a sua alma e as lágrimas derramadas não conseguem produzir a calma e a certeza de que a vida continua e que um dia nos reencontraremos, ore e peça que Ele reconforte seu coração, te dando a certeza de que a vida continua após a morte do corpo físico e que em breve poderás encontrá-los e regozijar-se com eles na presença do nosso Deus.
Quando, apesar do desejo sincero de ajudar aos que mais necessitam, quer seja através de bens materiais, palavras de estimulo ou simplesmente o gesto de oferecer um ombro amigo e ouvidos atentos e solidários, os outros vejam nesse ato uma maneira de condená-lo por sua suposta intromissão, não esmoreça ou interrompa a oportunidade que lhe foi oferecida pelo próprio Criador, mas ore, pedindo a Ele que lhe dê forças para compreender e amor para continuar trabalhando na construção do bem, pois muitas vidas poderão depender desta decisão.
Nossos sábios nos ensinam que “Se uma mitsvá atravessar seu caminho… agarre-a! Talvez o mundo inteiro tenha sido criado exatamente para este momento.”, por essa razão nunca desista de praticar uma ação positiva que auxilie o seu próximo.
Quando as lutas do caminho estiverem te enfraquecendo e te levando ao desespero e ao abandono, não se entregue a esse sentimento, mas resista firmemente e ore ao Senhor, buscando nEle a razão maior de sua existência. Deus nunca desampara os que O buscam.
Quando tudo estiver correndo bem e tudo à sua volta for motivo de alegria, ore e agradeça ao Senhor por tamanhas dádivas, pedindo a Ele sabedoria e humildade para que as bênçãos concedidas não se transformem em pedras de tropeço em sua vida.
Quando os irmãos mais necessitados que compartilhem a sua mesa te honrarem por tudo que fazes, não se engrandeça por isso, mas ora e agradeça ao Senhor pela oportunidade que Ele te concedeu de espalhar o bem sem desejar recompensa.
Não importa se lhe damos o nome de Tefilá, prece, reza ou oração, o que realmente importa é falar com Deus, expondo nossos sentimentos e inquietações mais intimas, nossas dúvidas e incertezas, nosso agradecimento pelo cuidado que tem para conosco, pelas possibilidades que nos concedeu de um dia havê-lo encontrado e ser atendido por Ele.

Aceitemos o convite que Moisés nos faz para orarmos em todos os momentos e situações e perceberemos o quanto isso nos ajudará a entender não apenas a razão de nossa vida, mas nos ensinará ainda, a compreender e a amar ainda mais os nossos semelhantes.

Muita paz a todos!

(בן  ברוך) Ben Baruch

2 comentários:

  1. Que belo post Baruch!

    Parabéns, foi muito elucidativo e especialmente espiritual!

    Lembrando-nos do poder da oração. A qual certamente nos aproximará de nosso Criador e, consequentemente, sentiremos maior conforto espiritual, independente da situação fisico-emocional-financeira que estejamos atravessando.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Querida Solange, paz!
    A oração tem o poder de nos transformar sempre que dela fazemos uso. Que possamos aprender a fazer de nossas orações um momento especial de agradecimento ao Eterno por todas as bênçãos que temos recebido, muitas vezes, sem percebermos. O cuidado do Senhor é contínuo em nossas vidas.
    Muita paz!

    ResponderExcluir