sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

De onde virá o nosso socorro?



De onde virá o nosso socorro?

Existem momentos em nossas vidas que nos sentimos tão desamparados, impotentes e desiludidos diante dos fatos negativos que nos atingem, que simplesmente pensamos que Deus nos abandonou.
Olhamos à nossa volta e não encontramos nada ou alguém que possa nos socorrer. É como se estivéssemos em um barco à deriva em meio a uma grande e terrível tempestade.
Nessas horas, na esperança de solucionar o mais brevemente possível os nossos problemas e conflitos, tentamos fazer uma retrospectiva dos fatos que ocasionaram a situação em que nos encontramos. As dificuldades são as mais variadas: materiais, sentimentais, existenciais e muitas vezes, por mais que rebusquemos em nosso íntimo, não conseguimos encontrar os motivos ou as respostas que nos aliviem a dor e o sofrimento pelos quais estamos passando.
Quando isso acontecer em sua vida, saiba que você não está sozinho. Não será o primeiro nem o último ser humano que passará por essa situação.
É possível que você esteja se sentindo assim hoje e talvez esteja fazendo a mesma pergunta que o Salmista Davi fez quando estava em grande perigo: “Elevo os meus olhos para os montes. De onde me virá o socorro?” (Sl 121)

Hoje em dia as pessoas procuram várias respostas para esta pergunta, mas nem todas conseguem obtê-las ou aceitá-las quando são confrontadas com a realidade de seus sentimentos ou convicções.

Para aqueles que olham para a vida apenas com os olhos da matéria, pode ser que a resposta esteja relacionada ao fato de conseguirem um emprego melhor: “Ah! Se eu estivesse no lugar do meu chefe, ganhando o que ele ganha... todos os meus problemas estariam resolvidos. Poderia morar em uma casa mais confortável; os meus filhos estudariam nos melhores colégios, a minha esposa teria mais tempo e condições para se vestir melhor, ficaria mais linda do que é e eu teria um sono tranquilo”.
Quantas vezes você também fez essa colocação? Quantas vezes você colocou o seu “eu” em primeiro lugar? Achando que seria capaz de resolver todos os seus problemas ganhando mais dinheiro?
Os problemas materiais – sejam eles de que ordem forem – não ocorrem somente na casa de pessoas de menor poder aquisitivo, ocorrem também, e com frequência, nos lares mais abastados.

Para o sentimentalista o socorro virá do fato de encontrar um grande amor. Encontrar alguém com quem possa compartilhar seus problemas e sua existência; alguém que possa ser solidário em todas as ocasiões, que possa estar ao seu lado as 24 horas do dia.
Mas muitas vezes o intenso desejo que temos de encontrar alguém que nos complete e a nós se entregue totalmente, faz com que nos esqueçamos de nos entregar totalmente a este alguém. Quando isso acontece, mascaramos a nossa insegurança e damos a ela do nome de “seletividade”. Às vezes nos fechamos tanto em nossos problemas que esquecemos que Deus nos concede diariamente a graça de estarmos vivos e esquecemos de demonstrar amor por aqueles que nos cercam.
Talvez a nossa carência afetiva seja produto de um sentimento de egoísmo que está brotando em nosso coração e está fazendo com que nos sintamos os mais desprezíveis, os maiores sofredores do Universo e na verdade o problema não está fora, mas dentro de nós mesmos.
Todos nós, sem exceções, sentimos a necessidade de amar e de ser amado, mas se a nossa confiança de socorro estiver centralizada apenas na busca da pessoa amada, será como uma peça de cristal muito fino, que diante de um ruído um pouco agudo acaba se quebrando.

Para o existencialista, todavia, o socorro pode estar relacionado a encontrar uma religião ou alguém que o proteja. São os chamados “parasitas espirituais”. Não têm existência própria, não querem crescer, não querem mudar a sua maneira de pensar e viver, querem ser socorridos o tempo todo, mas não movem um dedo sequer para receber o auxílio. Preferem apegar-se ao seu líder espiritual, sugando dele todas as forças, acreditando que ele é um ser sobrenatural e que o poder e a força do Universo estão contidos nele e se ele não o ajudar ninguém mais poderá fazê-lo. Depois que sugaram tudo o que aquele líder poderia dar-lhes, vão em busca de outro.
Ninguém pode viver fechado dentro de si mesmo acreditando que é o centro de todas as coisas e que tudo e todos à sua volta existem e foram criados para servi-lo.

Como vimos até aqui, os materialistas acreditam que o socorro virá da riqueza financeira acumulada. Os sentimentalistas crendo que do egocentrismo e do egoísmo virá o seu socorro e os existencialistas crendo que o fato de estarem ao lado de lideres abençoados estarão protegidos e encontrarão repouso e socorro e não necessitarão fazer absolutamente nada.
Mas ao contrário de todos eles, o Salmista Davi nos afirma que o nosso socorro vem do Senhor nosso Deus, que fez o céu e a Terra.
O socorro Divino é presente o tempo inteiro.
Quando você achar que não conseguirá resistir, quando entender que as suas forças se acabaram, creia que o Senhor virá em seu socorro.
O profeta Habacuque nos fornece uma orientação maravilhosa para nos fortalecer nas horas em que as adversidades nos acometem. Ele afirma que Deus nos consola dizendo: “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente...” (Habacuque 3.17-19)

Que o Senhor posso encontrar em nós corações dóceis que confiem e aguardem somente nEle. Que diante da Sua orientação possamos buscar o que nos reservou: nada menos que o melhor, pois tudo o que Ele nos concede é para o nosso bem estar e crescimento espiritual. Creia nisto, busque essa orientação, ponha-a em prática em sua vida e seja feliz!

Muita paz a todos!
(בן  ברוך) Ben Baruch

Um comentário:

  1. Olá amigo Ben. Às vezes não entendemos o que está acontecendo em nossas vidas. As coisas são confusas, não se encaixam e parece que nada dá certo. É que estamos vendo o avesso da vida. Do outro lado, Deus está bordando. Sempre estamos sendo ajudados. Grande abraço.

    ResponderExcluir