terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Superando as adversidades da vida.


Superando as adversidades da vida.

Quando somos jovens, temos a mente e o coração repletos de sonhos e ansiamos que se cumpram totalmente e o quanto antes melhor.
Preparamos-nos e fazemos tudo para alcançar os tão esperados resultados que projetamos, a fim de levarmos uma vida plena de realizações e conquistas. Entendemos que em se cumprindo o que idealizamos tudo à nossa volta estará bem e nenhum mal nos atingirá.
Mas a vida não é tão simples assim e na matemática da vida nem sempre dois mais dois são quatro. Nem sempre os cálculos que efetuamos nos oferecem os resultados esperados.
No meio do caminho, muitas situações acontecem por uma série de razões e na maioria das vezes alheios à nossa vontade. Eles nos distanciam e até mesmo nos direcionam para novos rumos e, dependendo do nosso comportamento, nunca mais conseguiremos retomar nossos projetos iniciais, nossos anseios mais íntimos.
Esta situação é mais comum do que pensamos.
Poucas pessoas conseguem projetar suas vidas na juventude e alcançar plenamente seus objetivos na idade madura.
Na juventude entendemos que para se conseguirmos a realização de nossos sonhos o melhor é nos capacitarmos para uma atividade profissional que seja rentável, porque através dela, atingiremos a tranquilidade e a maturidade necessárias para uma existência plena, acreditando que assim estaremos totalmente seguros.
Mas a experiência e a própria vida têm demonstrado que apenas isso não basta para atingirmos uma vida integral e segura.
Não são poucas as pessoas que, apesar de serem graduadas, possuírem renomados certificados de aperfeiçoamento, mestrado e doutorado, sentem-se frustradas, muito embora tenham alcançado tudo aquilo que entendiam ser o melhor para as suas vidas.
A vida é assim mesmo: vamos passando por ela, aprendendo dia a dia, e as lutas e os problemas, vão surgindo à nossa frente para serem enfrentados e vencidos.
Algumas vezes, inadvertidamente, trilhamos caminhos que não conhecemos e isso gera em nós muita dor e sofrimento, e nessas horas parece que o mundo todo conspira contra nós. Sentimo-nos impotentes diante das lutas e por mais que tentemos buscar forças em nós mesmos, não conseguimos. Os amigos, aqueles em quem mais confiamos, algumas vezes nos abandonam ou, se nos ouvem, não se mostram tão dispostos a nos ajudar.
Infelizmente, algumas pessoas estão mais preocupadas consigo mesmas e sempre relegam para um segundo plano os problemas e as dificuldades de seu próximo.
O profeta Habacuque (Habacuque 3.17-19) via que o povo estava se sentindo assim e apesar de ser um homem temente a Deus, não estava conseguindo buscar forças em si mesmo para ajudar seus irmãos a saírem daquele triste estado no qual se encontravam.
A indignação nacional estava principalmente relacionada com a prosperidade que os ímpios e injustos conseguiam e as dificuldades, injustiças e humilhações que eles, enquanto o povo escolhido de Deus estava passando.
Você já se sentiu assim alguma vez na vida?
Perguntou-se por que razão os incrédulos e injustos prosperam à sua volta enquanto você que é correto e ama a Deus passa por tantas lutas e humilhações?
Questionou-se por que a vida daqueles que procuram se entregar totalmente a Deus e seguir nas suas pisadas é, na maioria das vezes, mais difícil e os seus caminhos mais espinhosos?
Com certeza você já foi acometido por estes questionamentos. Mas não se sinta menos espiritual nem menos amado por Deus por isso.
Mas será que a nossa vida é constituída somente de lutas e de sofrimentos? Não haverá nenhum refrigério em nossa caminhada? Estaremos irremediavelmente atrelados a esta terrível situação?
Se você pensa assim, eu tenho uma boa notícia para você!
Essa situação não durará para sempre e você pode ter a certeza de que Deus está olhando para ela e nada foge ao seu controle, mesmo que isso não possa ser percebido por você nesse instante.
Podemos fazer da oração de Habacuque a nossa própria oração. Não é pensamento positivo, nem campanha de palavras fortes, mas de confiança no Todo-Poderoso Deus, a quem amamos e procuramos servir:
a)    Ainda que tudo à minha volta se torne como uma sequidão de estio, e que aparentemente eu não esteja conseguindo realizar meus sonhos mais íntimos...
b)    Ainda que meus recursos sejam pequenos e insignificantes aos olhos de muitos que prosperam à minha volta...
c)    Ainda que as oportunidades não sejam tantas assim e as que aparecem na sua maioria sejam conquistadas por outras pessoas...
d)    Ainda que muitas vezes a enfermidade e o choro batam à minha porta...
e)    Ainda que pareça que não vou aguentar a luta e algumas vezes pense em desistir...
f)     Ainda que durante a aflição eu não consiga entender de onde virá o meu socorro...
g)    Ainda que...
Ainda que tudo isso possa estar acontecendo em minha vida eu:
a)    Me alegrarei no meu Senhor...
b)    Exultarei no Deus da minha Salvação...
c)    Farei como Davi: elevarei os meus olhos para aos céus e exclamarei: o meu socorro vem do Senhor que fez os céus e a terra. Ele não permitirá que meus pés vacilem, não dormirá aquele que me guarda (Sl  121.1-4)
d)    Por que o Senhor Deus é a minha força...
e)    Faz os meus pés como os das corças...
f)     Faz-me andar altaneiramente...
Queridos amigos: as lutas e as dificuldades vêm sobre todos, independente de amarem ou não ao Senhor, afinal de contas Deus faz nascer o Sol sobre bons e maus e vir chuva sobre justos e injustos, mas a grande diferença que existe entre os que amam e confiam em Deus e os que não O amam é que no dia da adversidade que virá sobre cada um de nós. Os que não amam a Deus se desesperam, lamentam e alguns, chegando às raias da loucura acabam tirando a própria vida por não suportarem viver na humilhação a que foram expostos, mas aos que amam ao Senhor e confiam na Sua Palavra e nos Seus desígnios, Ele dá a certeza de que esta no comando da situação e mais dia menos dia tudo se resolverá, tudo entrará novamente nos trilhos, a bonança finalmente os alcançará e eles poderão desfrutar da alegria de terem permanecido fiel Àquele que os criou à Sua imagem e semelhança.
Querido amigo nunca desista, mesmo que as lutas pareçam difíceis de superar esteja certo de que Deus, em quem temos a certeza do cuidado e do amor manifestado a cada um de nós, te ajudará a superar as dificuldades que surgem em sua caminhada com confiança  e a certeza de dias melhores.


Muita paz a todos. 
(בן  ברוך) Ben Baruch

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Você se importa com os outros?

Muitos de nós atribuímos ética à vitória, e não há nada de errado com isso. Vencer é uma motivação excelente e nos esforçamos porque há algo que queremos conquistar.

Nem toda vitória acarreta uma perda correspondente, mas como adversários em jogos ou outras competições, somente podemos vencer se alguém perde.
Comemorar o brilho da vitória é um prazer, mas se você é o vencedor numa situação competitiva, apenas lembre-se, alguém perdeu, e provavelmente está ferido. É tão importante ser um bom vencedor como ser um bom perdedor. No jogo da vida é preciso saber lidar com ambas situações.
Muitas pessoas criticam os meios de comunicação de massa. Ouvimos muito sobre jornalismo irresponsável, e quão injusto é expor alguém ao ridículo, especialmente quando pode não ser possível desfazer o dano se a acusação estiver errada. Vale a pena saber se todos aqueles que criticam a mídia, refreiam-se ao falar de forma pejorativa sobre outros. Uma pessoa pode ser prejudicada por fofocas irresponsáveis na vizinhança, tanto quanto por um artigo no jornal. Você pode estar certo a respeito de jornalismo irresponsável, e suas expressões de justa indignação podem ou não ter um impacto nesta prática. Mas há um tipo de assassinato de dignidade pelo qual você pode fazer muito a respeito, e isso é sua maledicência sobre outros. Jornalistas que arruínam a reputação de outros são motivados pelo desejo de serem considerados bons repórteres. Indivíduos que difamam as pessoas provavelmente estão tentando se valorizar à custa dos outros. Ambos são egoístas e sem consideração.

Não use outras pessoas para se valorizar.
As pessoas cometem erros. Às vezes o fazem sem intenção, e neste caso devem ser perdoados.
Às vezes o fazem por egoísmo, e se este comportamento descuidado ou egoísta ofende os outros, então de fato precisam ser repreendidos ou punidos. Mas muito freqüentemente nossa sociedade tão sofisticada persegue alguém com uma sede de vingança tão repreensível como o ato que está sendo condenado.
Há uma linha tênue separando aprovação de comportamento anti-social ou irresponsável por um lado, e ser impiedoso por outro. Talvez a linha não seja tão tênue, afinal, porque parece haver muita latitude entre as duas.
Punição como retribuição pode ser defendida. Punição como um freio também faz sentido. Mas gratificar-se por ver alguém sofrendo é indefensável e indica a presença de emoções doentias. Castigo por um ofensa requer que o ofensor seja "ferido". Mas isso deve bastar. Adicionar insulto à injúria não degrada os outros. Apenas degrada a nós mesmos.
Sabia que certas pessoas sentem-se mais confortáveis relacionando-se com animais que com outros seres humanos? Porque animais transmitem o que sentem, e sua comunicação pode ser confiável. Se estão furiosos, eles rosnam; se são agradados, ronronam, sacodem a cauda ou coisa parecida. Porém, como não podem falar, não têm meios de comunicarem nada mais que o que sentem.

Pessoas são diferentes. Somos seres sofisticados com a habilidade da comunicação verbal.
Dessa forma, podemos dizer uma coisa e expressar outra.
O que podemos não perceber é que também usamos métodos não verbais de comunicação animal, mas esse comportamento não está sob nosso controle voluntário. Podemos controlar o que dizemos, mas nossos reais sentimentos são comunicados de alguma outra maneira. Se as duas mensagens estão em conflito, a comunicação será confusa, na melhor das hipóteses.
Se você acha que a pessoa não tem uma chance em um milhão de ter sucesso, fale que tem algo para lhe dizer. Se acha que a pessoa pode ter sucesso desta vez, apesar dos desempenhos anteriores, então diga-lhe.
A melhor razão para não mentir não é porque a mentira é imoral ou não tem ética, mas porque as pessoas não são boas mentirosas, pelo menos não quando isso diz respeito à relacionamentos pessoais, quando sentimentos são tão importantes quanto os fatos. Então, não pense uma coisa e diga outra, porque sua mensagem verbal está propensa a ser irremediavelmente confusa. A única certeza que saltará aos olhos é que você não é confiável.

Da próxima vez que ganhar um jogo aja: a maior vitória é elevar seu adversário.
Chabad

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Selo de qualidade.

Recebi este selo da querida amiga Gislene do "Mundo da Gislene" e repasso aos amigos, que quiserem participar da brincadeira.
Respondendo...

Nome: Ben Baruch

Uma música: Sonda-me, Usa-me! (Aline Barros)

Humor: de bem com a vida, afinal a alegria é contagiante, por isso devemos espalhá-la.

Uma cor: Azul

Uma estação: Verão

Como prefere viajar: Carro

Um seriado: Não me lembro de ter acompanhado algum seriado.

Frase ou palavra dita por você: Sem a presença de Jesus em nossas vidas os valores mais preciosos para o mundo se tornam insignificantes.

O que achou do selo: Gostei muito, Obrigado querida irmã. É nosso primeiro selo, por isso tem um sabor especial.

Selo de qualidade.

Recebi este selo da querida amiga Gislene do "Mundo da Gislene" e repasso aos amigos, que quiserem participar da brincadeira.
Respondendo...

Nome: Ben Baruch

Uma música: Sonda-me, Usa-me! (Aline Barros)

Humor: de bem com a vida, afinal a alegria é contagiante, por isso devemos espalhá-la.

Uma cor: Azul

Uma estação: Verão

Como prefere viajar: Carro

Um seriado: Não lembro de ter acompanhado algum seriado.

Frase ou palavra dita por você: Sem a presença de Jesus em nossas vidas os valores mais preciosos para o mundo se tornam insignificantes.

O que achou do selo: Gostei muito, Obrigado querida irmã. É nosso primeiro selo, por isso tem um sabor especial.