domingo, 19 de dezembro de 2010

Três conselhos.

             Um casal de jovens recém-casados era muito pobre e vivia de favores num sítio do interior. Um dia o marido fez a seguinte proposta para a esposa:
         "Querida eu vou sair de casa, vou viajar para bem longe, arrumar um emprego e trabalhar até ter condições para voltar e dar-te uma vida mais digna e confortável. Não sei quanto tempo vou ficar longe, só peço uma coisa, que você me espere e enquanto eu estiver fora, seja FIEL a mim, pois eu serei fiel a você." 
     Assim sendo, o jovem saiu. Andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro que estava precisando de alguém para ajudá-lo em sua fazenda.
     O jovem chegou e ofereceu-se para trabalhar, no que foi aceito. Pediu para fazer um pacto com o patrão, o que também foi aceito.
     O pacto foi o seguinte: "Me deixe trabalhar pelo tempo que eu quiser e quando eu achar que devo ir, o senhor me dispensa das minhas obrigações. EU NÃO QUERO RECEBER O MEU SALÁRIO. Peço que o senhor o coloque na poupança até o dia em que eu for embora. No dia em que eu sair o senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho".
     Tudo combinado.    
     Aquele jovem trabalhou DURANTE VINTE ANOS, sem férias e sem descanso.
     Depois de vinte anos chegou para o patrão e disse:
     "Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa." 
     O patrão então lhe respondeu:
      "Tudo bem, afinal, fizemos um pacto e vou cumpri-lo, só que antes quero lhe fazer uma proposta, tudo bem? Eu lhe dou o seu dinheiro e você vai embora, ou LHE DOU TRÊS CONSELHOS e não lhe dou o dinheiro e você vai embora. Se eu lhe der o dinheiro eu não lhe dou os conselhos; se eu lhe der os conselhos, eu não lhe dou o dinheiro. Vá para o seu quarto, pense e depois me dê a resposta.” 
Ele pensou durante dois dias, procurou o patrão e disse-lhe: "QUERO OS TRÊS CONSELHOS."
     O patrão novamente frisou: "Se lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro."
     E o empregado respondeu: "Quero os conselhos." 
     O patrão então lhe falou:
     1. NUNCA TOME ATALHOS EM SUA VIDA. Caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida.
     2. NUNCA SEJA CURIOSO PARA AQUILO QUE É MAL, pois a curiosidade para o mal pode ser mortal.
     3. NUNCA TOME DECISÕES EM MOMENTOS DE ÓDIO OU DE DOR, pois você pode se arrepender e ser tarde demais.
            Após dar os conselhos, o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim:
     "AQUI VOCÊ TEM TRÊS PÃES, estes dois são para você comer durante a viagem e este terceiro é para comer com sua esposa quando chegar a sua casa.“
     O homem então, seguiu seu caminho de volta, depois de vinte anos longe de casa e da esposa que ele tanto amava.
    Após primeiro dia de viagem, encontrou um andarilho que o cumprimentou e lhe perguntou: "Pra onde você vai?“
     Ele respondeu: "Vou para um lugar muito distante que fica a mais de vinte dias de caminhada por essa estrada." 
     O andarilho disse-lhe então: "Rapaz, este caminho é muito longo, eu conheço um atalho que é dez,
e você chega em poucos dias...“
     O rapaz contente, começou a seguir pelo atalho, quando lembrou-se do primeiro conselho, então voltou e seguiu o caminho normal.
     Dias depois soube que o atalho levava a uma emboscada.
     Depois de alguns dias de viagem, cansado ao extremo, achou pensão à beira da estrada, onde pode hospedar-se. 
     Pagou a diária e após tomar um banho deitou-se para dormir.
     De madrugada acordou assustado com um grito estarrecedor. Levantou-se de um salto só e dirigiu-se à porta para ir até o local do grito.
     Quando estava abrindo a porta, lembrou-se do segundo conselho.
     Voltou, deitou-se e dormiu.
     Ao amanhecer, após tomar café, o dono da hospedagem lhe perguntou se ele não havia escutado gritos durante a noite, e ele respondeu que sim.
     O hospedeiro perguntou-lhe se não estava curioso a respeito, e ele respondeu que não..
     O hospedeiro prosseguiu: “VOCÊ É O PRIMEIRO HÓSPEDE A SAIR DAQUI VIVO, pois meu filho tem crises de loucura, grita durante a noite... e quando o hóspede sai, mata-o e enterra-o no quintal.”
     O rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso por chegar a sua casa.
     Depois de muitos dias e noites de caminhada... Já ao entardecer, viu entre as árvores a fumaça de sua casinha, andou e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa.
     Estava anoitecendo, mas ele pode ver que ela não estava só.
     Andou mais um pouco e viu que ela tinha entre as pernas, um homem a quem estava acariciando
os cabelos.
    Quando viu aquela cena, seu coração se encheu de ódio e amargura e decidiu-se a correr de encontro aos dois e a matá-los sem piedade.
    Respirou fundo, apressou os passos, quando lembrou-se do terceiro conselho.
     Então parou, refletiu e decidiu dormir aquela noite ali mesmo e no dia seguinte tomar uma decisão.
     Ao amanhecer, já com a cabeça fria, ele pensou:  "NÃO VOU MATAR MINHA ESPOSA E NEM O SEU AMANTE.
     Vou voltar para o meu patrão e pedir que ele me aceite de volta.
     Só que antes, quero dizer a minha esposa que eu sempre FUI FIEL A ELA".
     Dirigiu-se à porta da casa e bateu.
     Quando a esposa abre a porta e o reconhece, se atira em seu pescoço e o abraça afetuosamente.
     Ele tenta afastá-la, mas não consegue. Então, com lágrimas nos olhos lhe diz: "Eu fui fiel a você e você me traiu..."
     Ela espantada lhe responde: "Como? Eu nunca lhe trai, esperei durante esses vintes anos!"
     Ele então lhe perguntou: "E aquele homem que você estava acariciando ontem ao entardecer?"

     "AQUELE HOMEM É NOSSO FILHO. Quando você foi embora, descobri que estava grávida. Hoje ele está com vinte anos de idade.“
     Então o marido entrou, conheceu, abraçou o filho e contou-lhes toda a sua história, enquanto a esposa preparava o café.
     Sentaram-se para tomar café e comer juntos o último pão.
     APÓS A ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO, COM LÁGRIMAS DE EMOÇÃO, ele parte o pão e, ao abri-lo, encontra todo o seu dinheiro, o pagamento por seus vinte anos de dedicação!  

     Muitas vezes achamos que o atalho "queima etapas" e nos faz chegar mais rápido, o que nem sempre é verdade...
     Muitas vezes somos curiosos, queremos saber de coisas que nem ao menos nos dizem respeito e que nada de bom nos acrescentará...
     Outras vezes, agimos por impulso, na hora da raiva, e fatalmente nos arrependemos depois....
          Espero que você, assim como eu, não se esqueça desses três conselhos e que, principalmente, não se esqueça de CONFIAR em DEUS... (mesmo que a vida, muitas vezes já tenha te dado motivos para a desconfiança).
Autor desconhecido.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Buscando ser feliz!

Buscando ser feliz!

Conta-se que em determinado país, um jovem estava passando por sérios problemas e conflitos pessoais e, como não conseguia resolvê-los, decidiu procurar um profeta a fim de que o orientasse acerca do que deveria fazer para solucionar esses graves conflitos a que se entregara.
Ao ser consultado, o profeta lhe disse, sem rodeios, que morreria em breve, porque a morte vinha rondando sua casa e que a única pessoa que poderia impedir aquele acontecimento seria ele mesmo. Apavorado e sem parar para meditar nos conselhos que recebera, vendeu tudo o que possuía e partiu para um lugar distante, pensando que dessa forma poderia fugir de seu trágico destino.
No dia seguinte à sua partida, uma figura estranha, com vestes negras e carregando uma foice em uma das mãos, entrou em um supermercado da cidade onde o desesperado jovem morava e comprou diversos produtos.
Ao olhar e reconhecer aquela sinistra figura, o comerciante do estabelecimento não se conteve e decidiu inquiri-la acerca dos motivos que a levaram a adquirir tão grande quantidade de produtos.
- Senhora Morte, com todo respeito, posso lhe fazer uma pergunta?
- Claro que sim. - respondeu ela.
- Que motivos a levaram a comprar tantos produtos em meu estabelecimento? Vai viajar?
Ao que a Morte respondeu: - Sim, preciso fazer uma grande viagem para me encontrar com um rapaz que acabou de mudar-se daqui.

Esta é apenas a estória de alguém que, pensando fugir ao seu destino, simplesmente decidiu afastar-se do lugar e das pessoas que o cercavam, quando na verdade deveria se preocupar em impedir que esse processo se consumasse. Conforme o conselho que recebera do profeta: “a única pessoa que poderia impedir esse acontecimento seria ele mesmo”.
Muitos de nós somos parecidos com este jovem.
Procuramos fugir ao nosso “destino”, simplesmente nos afastando de tudo e de todos que nos cercam, acreditando que agindo assim poderemos também nos distanciar das lutas e dissabores a que todos estão sujeitos na vida e finalmente encontrar a tão esperada felicidade neste mundo.
Os que assim pensam e agem são vítimas de um grande equivoco, pois a verdadeira felicidade não está relacionada ao fato de nos afastarmos das pessoas e situações adversas que nos rodeiam, mas em procurar aproveitar ao máximo o que cada uma delas tem a nos oferecer. Devemos assimilar e colocar em prática os seus pontos positivos e excluir os negativos.
A felicidade é algo que está ao alcance de todos nós, basta apenas que enxerguemos atentamente as diversas formas de alcançá-la.
Se nos permitirmos analisar as possibilidades que a vida tem nos concedido para nos tornarmos pessoas melhores e felizes, poderemos verificar quantas coisas temos deixado de valorizar.
Quantos amigos deixamos passar pela vida sem dizer o quanto foram importantes para nós?
Quantos lugares deixamos de visitar, simplesmente porque não nos dispusemos a sair de nossas casas e decidimos equivocadamente ficar apenas com as reminiscências dos comentários dos que lá estiveram?
Quantas vezes nos preocupamos em fazer a vontade daqueles que nos cercam e negligenciamos a nós mesmos o direito de sermos quem realmente somos?
Quantos projetos deixamos de realizar pelo medo de não sermos bem-sucedidos, imaginando o que poderiam pensar a nosso respeito caso fracassássemos, apesar de sabermos que éramos capazes de concluí-los com o êxito esperado?
Adicione a esta lista os vários momentos que a vida lhe permitiu ser feliz e que você deixou passar sem nem ao menos se conceder a oportunidade de tentar.
Com certeza todos nós temos uma lista desses sucessos que se transformaram em insucessos simplesmente pelo fato de nunca terem sido iniciados.
Renovemos a nossa maneira de enxergar as possibilidades que a vida nos concede para sermos efetivamente felizes.
Afinal de contas foi para isso que fomos criados: para a felicidade eterna!
Que ao iniciarmos um novo dia, possamos buscar forças e motivação, apesar das sombrias perspectivas que se apresentam, para colaborar na transformação de um mundo melhor.

E que ao final de cada dia, possamos dizer aos quatro cantos, com todas as letras e com toda a força de nossos pulmões: Obrigado Senhor, por mais um dia. Obrigado Senhor por me fazer tão feliz!!!

(בן  ברוך) Ben Baruch

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Luz e escuridão

    

 Alemanha: Inicio do século 20

            Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou seus alunos com a seguinte pergunta:

"Deus criou tudo que existe?"
Um aluno respondeu valentemente: “Sim, Ele criou”.
“Deus criou tudo?”, perguntou novamente o professor.
"Sim senhor", respondeu o jovem.
O professor continuou, "Se Deus criou tudo, então Deus fez o mal! Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mau."
O jovem ficou calado diante de tal argumento e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era um mito.
Outro estudante levantou a mão e disse:
"Posso fazer uma pergunta, professor?"
"Lógico", foi a resposta
O jovem ficou de pé e perguntou: "Professor, o frio existe?"
"Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio?"

O rapaz respondeu: "De fato, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos o frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é suscetível de estudo quando possui ou transmite energia. O calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia. O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor. Todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor."
"E, existe a escuridão?", continuou o estudante.
O professor respondeu: "Existe".
O estudante respondeu: "Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz. A luz pode ser estudada, a escuridão não! Até existe o prisma de Nicholls para decompor a luz branca nas várias cores que a compõe, com suas diferentes longitudes de ondas. A escuridão não! Um simples raio de luz atravessa as trevas e ilumina a superfície onde termina o raio de luz.
Como pode saber quão escuro está um espaço determinado? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço, não é assim? Portanto a escuridão é uma definição que o homem desenvolveu para descrever o que acontece quando não há luz presente"
Finalmente, o jovem perguntou ao professor: "Senhor, o mal existe?"
O professor respondeu: “Lógico que existe, como disse desde o começo, é só ler as manchetes: vemos ações terroristas, crimes e violência no mundo o tempo todo”.
E o estudante respondeu: "O mal não existe, pelo menos não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem, como nos casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus. Deus não criou o mal. Não é como a fé ou como o amor, que existem como existem o calor e a luz. O mal é o resultado da humanidade não ter Deus presente em seus corações. É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz."

Por volta dos anos 1900, este jovem foi aplaudido de pé, e o professor apenas balançou a cabeça permanecendo calado.
O diretor dirigiu-se àquele jovem e perguntou qual era seu nome. E ele respondeu: “Albert Einstein.”

     

Luz e escuridão

    

 Alemanha: Inicio do século 20

            Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou seus alunos com a seguinte pergunta:

"Deus criou tudo que existe?"
Um aluno respondeu valentemente: “Sim, Ele criou”.
“Deus criou tudo?”, perguntou novamente o professor.
"Sim senhor", respondeu o jovem.
O professor continuou, "Se Deus criou tudo, então Deus fez o mal! Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mau."
O jovem ficou calado diante de tal argumento e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era um mito.
Outro estudante levantou a mão e disse:
"Posso fazer uma pergunta, professor?"
"Lógico", foi a resposta
O jovem ficou de pé e perguntou: "Professor, o frio existe?"
"Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio?"

O rapaz respondeu: "De fato, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos o frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é suscetível de estudo quando possui ou transmite energia. O calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia. O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor. Todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor."
"E, existe a escuridão?", continuou o estudante.
O professor respondeu: "Existe".
O estudante respondeu: "Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz. A luz pode ser estudada, a escuridão não! Até existe o prisma de Nicholls para decompor a luz branca nas várias cores que a compõe, com suas diferentes longitudes de ondas. A escuridão não! Um simples raio de luz atravessa as trevas e ilumina a superfície onde termina o raio de luz.
Como pode saber quão escuro está um espaço determinado? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço, não é assim? Portanto a escuridão é uma definição que o homem desenvolveu para descrever o que acontece quando não há luz presente"
Finalmente, o jovem perguntou ao professor: "Senhor, o mal existe?"
O professor respondeu: “Lógico que existe, como disse desde o começo, é só ler as manchetes: vemos ações terroristas, crimes e violência no mundo o tempo todo”.
E o estudante respondeu: "O mal não existe, pelo menos não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem, como nos casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus. Deus não criou o mal. Não é como a fé ou como o amor, que existem como existem o calor e a luz. O mal é o resultado da humanidade não ter Deus presente em seus corações. É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz."

Por volta dos anos 1900, este jovem foi aplaudido de pé, e o professor apenas balançou a cabeça permanecendo calado.
O diretor dirigiu-se àquele jovem e perguntou qual era seu nome. E ele respondeu: “Albert Einstein.”

     

DEUS EXISTE?

                    

 Há incontáveis razões para você acreditar que sim.

 Quantas vezes em sua vida você já se fez esta pergunta, e quantas ou diferentes respostas você obteve?
É comum quando estamos extremamente felizes e nos sentimos recompensados agradecer e dizer: "Deus existe!", ou em momentos de extrema dificuldade, quando nosso pacote parece demasiadamente pesado, duvidarmos de Sua existência.
A resposta para estas perguntas é: Deus é tudo e está em todo lugar. Rodeia-nos como a atmosfera, e penetra toda a matéria e energia no universo. Ele está vivo. Existe em todos os tempos. Existia antes que houvesse tempo e lugar; aliás, Ele criou o tempo e lugar. É capaz de fazer, criar ou destruir qualquer coisa. Mas não tema - Deus é legal. E Ele se importa com cada um de nós o tempo inteiro.
A palavra "Ele" é usada para que possamos nos referir a Deus. Mas Deus não é masculino, feminino, nenhum dos dois, ou ambos. Ele não tem físico, forma tangível. Ele é Um, significando que não tem partes e é indivisível.
A ciência afirma que o Universo começou com uma explosão cataclísmica espalhando-se uniformemente a partir de um ponto central. Mas de onde veio aquele centímetro cúbico super condensado de matéria original? E quem apertou o botão para desencadear o Big Bang? Hoje existe um número significativo de cientistas que acreditam no que a ciência duvidava há pouco tempo: a única resposta é Deus. Um ser infinito e portanto acima, anos-luz da nossa limitada e finita capacidade humana de entendê-lo.
            
Abordagem científica
Você vê o universo à sua volta? De onde ele veio? Há apenas quatro soluções possíveis; a) o universo criou-se por si mesmo. b) o universo surgiu do nada. c) o universo sempre esteve aqui (em uma forma ou em outra). d) o universo foi criado por algum tipo de criador. Agora, concentre-se bem, analisemos estas soluções uma a uma:
a - O universo criou-se por si mesmo
Quando o universo criou-se por si mesmo - antes de estar lá, ou depois de estar lá? Se o universo criou-se antes de estar lá, então já estava lá, e não havia necessidade de criar-se a si mesmo! E, se o universo criou-se a si mesmo, por que parou de criar-se? Por que não vemos universos novos aparecendo do nada? Além disso, antes que o universo se criasse, havia um universo lá? Se não havia, então temos um paradoxo absoluto: havia algo lá com o poder de criar-se a si mesmo, mas não estava lá. Em outras palavras, era algo que também era nada. E daí?

b - O universo surgiu do nada
E quanto à Terceira Lei da Termodinâmica (conservação da matéria)? A matéria não pode ser criada nem destruída. É absurdo pensar que "algo" possa emergir do "nada". Não se impressione por aquilo que muitas pessoas são levadas a acreditar - que os cientistas encontraram partículas surgindo do nada e depois desaparecendo no nada. Para começar, isso contradiz não apenas o bom senso, como a própria Lei da Identidade, que é o alicerce de toda lógica. (A Lei da Identidade: alguma coisa é aquilo que é!)
Segundo, como pode alguém estar certo de que estas partículas estão realmente emergindo do nada? É muito mais provável e lógico dizer que são realmente indetectados antes de aparecer - seja porque não temos o equipamento para detectá-los ou porque não conseguimos entender as dimensões da realidade. Seja como for, é um tanto presunçoso acreditar no absurdo quando há uma explicação alternativa. Há ainda uma presunção lógica que Algo é melhor e mais forte que Nada. Em qualquer um dos casos, se Nada pode criar Algo, então certamente Algo pode criar. Então por que nós, que somos “Algos”, não podemos criar outros “Algos” a partir do Nada?

c - O universo sempre esteve aqui (de uma forma ou de outra)
Se o universo sempre esteve aqui, e portanto, o tempo volta infinitamente sem nenhum início, quanto tempo demorou para hoje chegar? "Bem," diria você, "levou uma quantidade infinita de tempo." Mas então como nós chegamos realmente a este ponto? Como podemos viajar uma duração infinita de tempo? Devemos concluir que tempo e distância são finitos, porque tiveram de ter começado há algum tempo e em algum lugar. Isso significa que o universo teve um início (ou devemos dizer Bereshit, Gênesis) que foi desencadeado pelo Criador.

d - O universo foi criado por algum tipo de criador
Esta opção é a mais lógica, porém a mais assustadora. Significa que há uma resposta à pergunta: "Por que estamos aqui?" Significa que há um Criador, e assim sendo, Ele ou Ela deve nos querer aqui por alguma razão.
          
Moral
Se não há Deus, então não há certo e errado. Se não há Deus, isso significa que somos apenas um bando de animais que de alguma forma evoluíram a partir do cosmos. E como somos apenas um bando de animais, faz alguma diferença no vasto universo se um animal de duas pernas mata outro animal de duas pernas? Nenhuma. Sim, matar é errado, e sim, você viola o contrato social da reciprocidade se você mata alguém, mas ninguém tem a autoridade de ditar a você que matar é errado. Porque ele não é melhor que você, porque ele é apenas outro animal de duas pernas, a opinião dele não é melhor que a minha ou a sua.
Portanto, se Deus não existe, não deveria haver objeção às incontáveis atrocidades através da história. Porém, há objeções - por quê? Porque não somos um bando de animais - porque a moralidade é absoluta, e não relativa à nossa consciência individual. Porque há um Deus, e há um significado e santidade na vida. E há um código de conduta que nos orienta de que forma devemos agir e viver.
Somos seres palpáveis. É possível sentirmos uma força capaz de alavancar ações, de tomar decisões, de construir através de um ímpeto. Esta força é uma partícula do Criador. A força que nos move e nos mantém vivos. Nossa alma é eterna. Como? Pense Nele, em quem a criou. Somente algo Eterno é capaz de criar coisas eternas. Deus existe. Olhe à sua volta e dentro de você mesmo. Ele está em todo lugar e em todos os tempos. E isto não é ficção científica; é real.

Adaptado do artigo por Rabino Mendy Hecht - AskMoses.com

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Um novo recomeço


Um novo recomeço

Como é difícil recomeçar!
Existem pessoas que conseguem, com muita naturalidade, superar as adversidades da vida e transformá-las em sucesso. Todavia, a grande maioria de nós, “pobres mortais”, sente uma enorme dificuldade para refazer a vida, principalmente quando, segundo nossos critérios, sofremos uma perda ou queda muito grande. Não importa o tamanho do problema que nos atingiu, ele precisa ser enfrentado e superado.
Todos nós sabemos disso, mas onde buscar forças para reagir e “dar a volta por cima”?
Nas horas em que as adversidades nos alcançam, não são poucos os nossos acusadores. Se a queda se deu no campo da moral, as acusações se multiplicam em escalas astronômicas. Ah... como é difícil superar problemas nessa área...!
Antes de qualquer coisa, precisamos ter em mente que os insucessos pessoais fazem parte da vida de qualquer ser humano.
Por mais sábia que um pessoa seja, também precisou passar por um processo de aprendizagem que para algumas parecia interminável e nessa caminhada, com certeza, acabou errando muitas vezes antes de acertar.
Quando você estiver abatido e sentir que suas forças estão se esvaindo em razão dos erros cometidos, não desista nem entregue os pontos. Creia que sempre haverá uma oportunidade para recomeçar.
Em momentos assim, o melhor a fazer é reavaliar equilibradamente a situação que ocasionou a queda ou o insucesso e procurar os meios necessários para se retomar a tarefa do ponto em que nos desviamos.
São inúmeros os exemplos em que podemos nos espelhar:
Homens e mulheres que um dia ouviram o chamado de Deus para andarem com Ele e no meio do caminho se desviaram ou simplesmente abandonaram os trabalhos que lhes foram confiados...
Um pai de família que, atraído pelas facilidades que a vida lhe ofereceu, negligenciou o cuidado com aqueles que o Eterno lhe confiou e acabou se entregando a sentimentos e envolvimentos ilícitos que lhe dominaram a alma e o transformaram num ser frio e distante, em cuja mente e coração grita sempre uma voz de acusação dizendo que para ele não há mais oportunidades de retomar o caminho que abandonou...
Jovens, que, sentindo-se iludidos com as oportunidades que a vida moderna oferece, acabaram se entregando a todos os tipos de vícios e licenciosidades, na tentativa de satisfazer as paixões interiores, que tão fortes clamavam por prazeres carnais, que quando caíram em si, acreditaram que por viverem ou terem vivido desregradamente, nunca mais seriam aceitos como pessoas confiáveis e valiosas. Em razão desse errôneo critério de avaliação, acabaram punindo-se com um julgamento próprio de valores que nunca leva em consideração o amor de Deus nem as oportunidades que Ele concede aos que O buscam...
Talvez você esteja sentindo-se assim nesse momento e acredite que não exista cura para o seu problema, nem correção para os erros cometidos, mas eu tenho uma boa notícia para você!
A Torá nos ensina que sempre existe uma oportunidade para aqueles que sinceramente se arrependem do erro cometido e tomam uma posição em direção oposta à que caminhavam.
Com certeza o caminho do retorno pode ser muito difícil e pedregoso, mas necessário. Não devemos, todavia, parar em nossa caminhada na busca de uma nova vida. Uma vida plena de realizações e que espelhe a presença Divina que há em cada um de nós.
Com certeza, algumas pessoas olharão para você de forma desconfiada, sem acreditar que você realmente está disposto a mudar, mas isso faz parte do processo para todos que buscam uma nova vida, Afinal, somos imperfeitos e sobre a face da Terra não há um único habitante que possa sinceramente nos acusar e dizer que nunca cometeu erros ou que, ao longo da vida, sua conduta em todos os sentidos e ocasiões sempre foi irrepreensível.
O recomeçar pode parecer difícil, mas é necessário, e quanto antes iniciarmos o processo melhor.
Creia que o reequilíbrio certamente virá e nesse momento você poderá sentir-se novamente amado por Deuse pronto para ter um relacionamento diferente com todos que o cercam.
Por mais delicada que seja a situação em que você se encontre, Deus, que nunca deixou de amá-lo, estará sempre com os braços abertos para recebê-lo. Assim como um pai amoroso, o confortará e lhe concederá uma nova oportunidade para crescer e desfrutar de Sua companhia.
Que o Eterno te abençoe e te guarde nessa nova fase de sua vida.


(בן  ברוך) Ben Baruch

domingo, 12 de dezembro de 2010

VALORIZE O QUE VOCÊ TEM

Sempre que sua mente estiver livre, faça um esforço consciente para concentrar-se no bem que o Todo Poderoso lhe concedeu.

A opinião da Bíblia é que Deus constantemente cria o mundo inteiro e tudo que nele existe para cada indivíduo. Este conceito tem o potencial de proporcionar imenso prazer à pessoa. Pense sobre isso por um momento. O Criador e Provedor do Universo está constantemente criando para você o sol, a lua e todos os outros fenômenos do mundo. Ele está constantemente concedendo vida a você, e a cada segundo Ele lhe concede as suas necessidades.

A cada vez que você sentir prazer, mesmo algo singelo como ganhar um pequeno lucro, sinta-se grato. Todos os dias nós temos numerosas ocasiões como essas que facilmente deixamos de perceber. Elas são lições para ensinar conscientização sobre a Divina Providência.

Aquele que valoriza o que tem, não importa se é muito ou pouco, age como se fosse constantemente a festas. Estará sempre de bom humor. E ao contrário, a pessoa que está sempre concentrada naquilo que os outros possuem e naquilo que lhe falta, sofre o tempo todo.

Você sempre sentirá falta de coisas que gostaria de ter. Isso é inevitável. Se você ficar pensando naquilo que não tem, deixará de apreciar tudo que já tem.

Faça uma lista de coisas que você acha que deixou de valorizar no passado. Tome a resolução de sentir-se grato por aquelas coisas.

Com muita freqüência as pessoas pensam sobre o passado em termos de suas tristezas e problemas. O fato de você estar vivo hoje significa que você conseguiu ter as necessidades básicas até agora. Seja agradecido por isto.

Uma das maiores coisas que alguém pode ter é o presente de filhos e filhas. Os filhos são a maior fonte de prazer, felicidade e satisfação neste mundo. Dão à pessoa força e energia para tolerar as vicissitudes da vida.

Quando alguém está doente, tem um forte desejo de melhorar. Imagina que quando estiver curado sentirá uma felicidade constante. Porém logo depois de estar curado, aceita a boa saúde como algo a que tem direito.

Quando uma camisa cai de um local muito alto, algumas pessoas dizem: “Sou grato por não estar dentro daquela camisa.” À primeira vista, parece uma declaração bem estranha. Porém após alguma reflexão podemos ver que faz sentido. Os seres humanos estão sujeitos a todo tipo de doenças e acidentes. Muitas coisas podem prejudicar uma pessoa. Até alguém que está caminhando sobre um piso plano e sólido pode tropeçar e quebrar algum membro. Quando alguém come, pode engasgar com a comida. Com imaginação você pode pensar em eventos que têm pouca possibilidade de realmente acontecer. Uma pessoa sábia está sempre consciente de sua falta de poder para proteger-se, e percebe quão facilmente pode ser ferida.

Quando observa algo caindo, logo pensa que ele também poderia facilmente cair. Isso serve como lembrete de que deveria ser grato a Deus por guardá-lo e mantê-lo vivo. O principal desejo de todos é levar uma vida feliz. Esta é a motivação por trás de divertimentos como jogos ou música. Por que a arte de sentir alegria quando algo potencialmente prejudicial não acontece deveria ser menor que a arte de apreciar a música? A pessoa que pode sentir-se alegre porque não está doente ou ferida leva uma vida feliz.

Um homem famoso pela sua força, chamado Breibart, enfraqueceu tanto devido a uma doença que tornou-se incapaz de segurar uma caneta com a mão. Na época, um escritor observou: “As mesmas mãos que já foram capazes de entortar barras de ferro agora tremem com uma simples caneta leve.” As pessoas pensam que segurar uma caneta é algo tão simples e natural que nenhuma força é necessária para a tarefa. Somente a força extra especial, elas pensam, é um presente Divino. Na verdade, a força para segurar uma caneta também é um presente Divino, e sem este presente a pessoa seria incapaz de segurar qualquer coisa.

Certo Sábio desenvolveu este tema e disse: “O primeiro homem, Adam, teve de trabalhar muito até ter pão para comer. Foi preciso arar, semear, colher, juntar, debulhar, separar o bom do ruim, moer, peneirar, amassar e assar e somente então conseguiu comer. Eu, no entanto, levanto-me pela manhã e encontro o produto pronto para mim.” Ele continuou: “Quanto trabalho o primeiro homem, Adam, teve até produzir uma roupa para vestir. Ele próprio teve de tosquiar os animais. Depois teve de clarear a lã, penteá-la, fiar e tecer a vestimenta. Eu, no entanto, encontro roupas prontas para vestir sem qualquer dificuldade.”

Este tipo de raciocínio é especialmente importante para alguém que se aborrece facilmente com outras pessoas. Os aborrecimentos que elas lhe causam é o preço que você paga pelos benefícios que recebe. Faça uma longa lista de todas as pessoas que lhe prestam serviços úteis, incluindo operários da indústria de alimentos, construção, editoração, transportes, empregados do departamento sanitário e empresas de serviços.

Faça uma lista de itens disponíveis para seu uso hoje em dia que não existiam há uma centena de anos. Veja como estas coisas o ajudam e tornam a vida mais fácil e mais confortável. Veja alguns exemplos: eletricidade, telefones, refrigeradores, carros, aviões, lâmpadas elétricas, máquinas de lavar, sistema de aquecimento central, elevadores, enlatados e água corrente em casa (isso geralmente é aceito como algo normal, até que surja um problema com o encanamento).

Algumas pessoas se concentram apenas em como estas coisas poderiam ser melhoradas e com quanta freqüência não funcionam tão bem como deveriam.

Se você conseguir imaginar sua vida sem todas estas comodidades, vai valorizar aquilo que tem de tal maneira que levará uma vida de alegria constante. Se você se perdesse num deserto sem água e sem comida e de repente encontrasse um pedaço de pão, apreciaria aquele pão mais do que normalmente apreciaria uma refeição suntuosa.

Como um exercício de apreciação, tente por uma hora sentir-se grato por cada pequena coisa que você fizer. Quando ler as palavras, agradeça por poder enxergar. Quando caminhar, seja agradecido pelo uso dos seus pés. Quando falar, agradeça pela capacidade de se comunicar com os outros. Durante uma hora inteira, não considere tudo que você tem como um direito adquirido. Preste atenção a cada detalhe daquilo que você pode fazer. Quem faz isto diariamente, mesmo que por um curto período de tempo, saberá valorizar muito mais tudo aquilo que faz e as bênçãos infinitas que recebe de Deus.
Chabad